geral@penafielmagazine.pt

Notícias em Penafiel
 

DIABÉTICOS DO VALE DO SOUSA REALIZARAM PIQUENIQUE

A Associação de Diabéticos do Vale do Sousa realizou a primeira edição da Caminhada Piquenique, uma iniciativa que juntou, no Parque da Cidade de Penafiel, um grupo motivado a estimular a adoção da prática regular de exercício físico, como forma de prevenção e até de tratamento da diabetes.

Inculcar rotinas de vida mais saudável foi, precisamente, o propósito da caminhada, como referiu a presidente da associação, Rita Nogueira. “O objetivo desta iniciativa consistiu em divulgar a associação, e promover a prática de exercício físico, com todas as vantagens que isso traz. Além de poder funcionar como forma de prevenir este quadro clínico, o exercício físico contribui para a melhoria da qualidade de vida de pessoas que já são diabéticas. O controlo dos níveis de glicemia, o aumento da capacidade cardiovascular como forma de prevenir casos de hipertensão, a libertação de endorfina, ou os benefícios a nível trato-intestinal, são algumas das vantagens que a prática regular de exercício pode trazer. Acresce a isto a criação, através desta caminhada, de um contexto informal e lúdico que, ao juntar diabéticos e familiares num ambiente de convívio, facilita a partilha de informações, vivências e até preocupações e dúvidas sobre este problema. Acredito que, ao proporcionar às pessoas estes momentos de confraternização e estreitamento de laços, vamos contribuir para que as pessoas, de forma autónoma, se juntem em outras ocasiões para fazer outras caminhadas, e convivam entre si, através da prática mais regular de hábitos de vida saudáveis”, começa por dizer, antes de partilhar que o problema da sedentariedade da vida de pacientes diabéticos, é demasiado comum no tratamento de um quadro clínico de diabetes, situação que eventos como este pretendem inverter. “Existe um grande défice no cumprimento das diretrizes recomendadas para a prática de exercício físico, sobretudo devido à vida muito sedentária das pessoas, hoje em dia. Se há algumas décadas caminhar bastante fazia parte do quotidiano habitual das pessoas, atualmente a vida pessoal e profissional é muito marcada pelo uso de automóveis para nossa deslocação, o que força a que sejam criados momentos próprios para a prática de atividade física que dantes era normal no dia-a-dia das pessoas. Esta sedentariedade do estilo de vida que se leva representa, por isso, um desafio acrescido aos profissionais de saúde, no âmbito da implementação de hábitos de vida mais saudáveis, junto dos seus pacientes”, refere.

Agendadas para os próximos tempos, estão já novas atividades. No dia 20 de outubro, a associação acolhe um Encontro de Diabéticos, em que o tema do pé diabético estará em discussão. No mês seguinte, será realizada uma formação de cariz mais prático, com o intuito de alertar para o chamado “açúcar escondido” nos alimentos, ou seja, vai-se identificar alimentos vistos como aparentemente saudáveis mas que, na verdade, podem ser prejudiciais no âmbito de um determinado quadro clínico. De referir que, em parceria com a Junta de Freguesia de Penafiel, será agendada uma sessão de esclarecimento sobre diabetes, nas instalações da ADISCREP (Associação para o Desenvolvimento de Penafiel), em data a agendar.

Recomendações para a prática de exercício físico segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde)

Uma vez que, no artigo anterior, se falou na adoção de hábitos de prática regular de exercício físico, convém lembrar quais as diretrizes gerais que a OMS define para três grupos etários.

Para jovens entre os 5 e os 17 anos, recomenda-se a prática diária de, pelo menos, 60 minutos de exercício físico diário, de intensidade moderada a elevada. A maioria dos exercícios deve ser de natureza aeróbia (andar, nadar, pedalar, correr), e exercícios orientados para o fortalecimento do sistema músculo-esquelético devem ser introduzidos, pelo menos, três vezes por semana.

Para adultos entre os 18 e os 64 anos, as recomendações mínimas apontam para a prática de exercício físico aeróbio de intensidade moderada, durante pelo menos 150 minutos por semana, ou 75 minutos, no caso de a intensidade ser elevada. A duração de cada exercício aeróbio deverá ser de, pelo menos, dez minutos, e as atividades de fortalecimento do sistema músculo-esquelético devem envolver os principais grupos musculares, durante dois ou mais dias por semana.

Para pessoas com mais de 65 anos, mantêm-se as diretrizes da faixa etária anterior, apenas com algumas alterações. Para os que estejam aptos a realizar exercício físico de intensidade mais elevada, a recomendação vai no sentido de combinar, durante 75 minutos semanais, exercícios de intensidades moderada e elevada, e não somente elevada. No caso de pessoas com mobilidade mais reduzida, deve fazer-se exercício que melhore o equilíbrio e reduza o risco de quedas, durante três ou mais dias por semana.

Estas recomendações são genéricas, sendo que, em função das características individuais, podem e devem ser adaptados à capacidade funcional de cada indivíduo.