geral@penafielmagazine.pt

Notícias em Penafiel
 

Penafiel quer reforçar objetivo de afirmação na região

 

Cumpriu-se como sempre, no dia 3 de março, a sessão solene evocativa do aniversário de elevação de Penafiel a cidade.

Este ano, são 249 as «primaveras» celebradas, mas para o ano o número é bem redondo, nada menos que dois séculos e meio de história desta dinâmica e antiga urbe do Vale do Sousa.

Uma cidade que se apresentou nesta data com uma ambição de consolidar, a par da sua riqueza histórica, uma vontade inequívoca de se afirmar como referência regional em vários dos seus indicadores. Foi precisamente essa a mensagem transmitida por Antonino de Sousa, presidente da Câmara Municipal, aos presentes no Museu Municipal de Penafiel, para assistir à sessão solene que ali se realizou. “Já lá vão 249 anos em que a nossa vila de Arrifana de Sousa ascendeu ao estatuto de cidade de Penafiel. Um estatuto, à época, raro, e que ao longo de mais de dois séculos, não teve par na região, e que contribuiu para que Penafiel se tenha vindo a afirmar, e a consolidar a liderança nesta região do Tâmega e Sousa”.

Seguidamente, o autarca penafidelense abordou o que considera serem os “factos objetivos” que sustentam a liderança regional da cidade. “Uma liderança nunca decorre apenas do estatuto. Daí que, ao longo do primeiro ano de mandato autárquico, tenhamos procurado manter, diariamente, um trabalho intenso de afirmação nas mais diversas áreas da governação municipal. Foi, por isso, possível celebrar contratos de investimento que vão permitir atrair mais de doze milhões de euros de investimento privado, e criar mais de mil empregos, prioritariamente para penafidelenses. No campo da educação, começou a ser implementado, no ano anterior, o Plano Integrado e Inovador de Combate ao Abandono e Insucesso Escolar. A Agrival integra o grupo restrito de finalistas do prémio Best Iberian Festivity, que avalia os melhores festivais da Península Ibérica, integrados em feiras ou festividades. Em 2018, o Município de Penafiel viu ser-lhe atribuído, pelo terceiro ano consecutivo, o galardão de Município Amigo das Famílias, com a palma de ouro, num reconhecimento das nossas políticas sociais de proximidade, que têm sempre nos mais frágeis a sua prioridade”, elencou.

Num discurso em que falou da aprovação de uma candidatura municipal ao Programa Tradições da EDP, que vai possibilitar o reforço ao apoio da cultura popular no concelho, a importância do futuro espaço Ponto C – Criatividade e Cultura, cujo projeto foi apresentado publicamente no dia da cerimónia, para o fomento das atividades culturais no concelho, foi também realçada pelo líder do executivo municipal. “O Ponto C – Criatividade e Cultura será um espaço de criatividade, e um polo cultural de referência na região do Tâmega e Sousa. Um ponto de encontro, de partilha da nossa cultura, e um palco para trazer a Penafiel e à região o melhor da criação artística do país e do Mundo. Queremos, desta forma, realizar um sonho de décadas, e continuar este caminho de afirmação no domínio da cultura. E não poderíamos deixar de aproveitar esta circunstância, para dar à nossa cidade a oportunidade de se expandir. Este novo equipamento cultural, pela sua localização, vai seguramente permitir o crescimento da nossa cidade para a bela encosta do Cavalum, sem cortar a ligação ao centro histórico, rasgando novos caminhos e abrindo novos horizontes”, reiterou.

De referir que o futuro Ponto C ficará localizado na Quinta de Puços, conhecida como o local da prova de vinhos, durante as festividades de São Martinho. Irá integrar um auditório para espetáculos com capacidade até 400 pessoas, e uma outra sala polivalente, com uma área envolvente, uma nova praça, zonas verdes, e um anfiteatro natural.

 

Figuras da Proteção Civil homenageadas em sessão solene

Foram sete os cidadãos penafidelenses que receberam a Medalha de Ouro do Concelho de Penafiel, e três os agraciados com a Medalha de Mérito Municipal Dourada.

Distinções atribuídas numa cerimónia em que os cidadãos homenageados tinham em comum o seu trabalho e serviço na área da proteção civil, um reconhecimento reservado para este ano, que foi justificado por Antonino de Sousa no seu discurso. “Infelizmente, as tragédias que assolaram o nosso país nos últimos anos fizeram com que os portugueses olhassem para a área da proteção civil de outra forma. E ficassem a perceber, acima de tudo, as fragilidades do sistema, com cadeias de comando desorganizadas e estruturas desmotivadas. Não fora o brio e generosidade de grande parte dos envolvidos nesta área, em particular dos bombeiros, e a dimensão do caos e da tragédia seria, com certeza, maior. E, apesar disso, continuamos a ver os bombeiros de Portugal a ser continuamente desconsiderados por um Governo que os ignora na elaboração de documentos fundamentais, como ainda recentemente no caso da Lei Orgânica da Proteção Civil. Em Penafiel, temos muita consideração pelos nossos bombeiros, e somos muito gratos por toda a sua dedicação à nossa comunidade. Por isso, o tema central da presente edição das celebrações será a proteção civil e o socorro, função em que os bombeiros são, de facto, indispensáveis”.

Nesse contexto, António Alberto Vieira Simões, António Ribeiro Rodrigues, António da Silva Rodrigues Fontes, Francisco Pereira Moreira, José Maria dos Reis Sousa, Manuel Luís Soares das Neves e Vítor da Cunha Rocha foram agraciados com a Medalha de Ouro do Concelho de Penafiel. António Vieira dos Santos, Manuel Filipe Serralva Alves e Pedro Luís Moreiras Nunes Ferreira receberam a Medalha de Mérito Municipal Dourada, pelas funções desempenhadas no INEM em prol da população.