geral@penafielmagazine.pt

Notícias em Penafiel
 

JOSÉ FONTE QUER SER TITULAR NA LIGA DAS NAÇÕES

O defesa-central penafidelense José Fonte quer ser titular na Liga das Nações.

Convocado por Fernando Santos para a «final-four» decisiva desta nova competição da UEFA, José Fonte, que já não joga por Portugal desde novembro do ano passado, assume a vontade de marcar presença entre os titulares de Portugal, no encontro das meias-finais frente à Suíça. “Se não tivesse a ambição e mentalidade de querer ser titular, não valia de nada estar aqui presente. Porém, cabe ao treinador decidir quem começa, e o importante é estar aqui para ajudar. Quero ser titular, acredito que posso vir a sê-lo, mas cabe ao treinador decidir”, reiterou o penafidelense, a propósito de uma equipa cuja concorrência para o eixo da defesa se limita a outros dois atletas, Pepe e Rúben Dias, num total de três centrais chamados à seleção.

Numa conferência de imprensa destinada à análise dos trabalhos do grupo, na preparação para o encontro com a Suíça, José Fonte falou da importância do surgimento de vários jovens jogadores na seleção, como garantias de um futuro promissor à equipa das quinas, em relação aos desafios e exigências competitivas que encontrará nos próximos anos. “Ter tantos jovens a aparecer é excelente, e demonstra que se trabalha muito bem em Portugal. No entanto, não é todos os anos, nem em todas as gerações, que aparece um fenómeno como o Cristiano Ronaldo. Temos outros jogadores a aparecer, diferentes, e que podem e ja estão num altíssimo nível, como o Bernardo Silva, ou mesmo o Bruno Fernandes e o Pizzi, que também fizeram épocas fenomenais. Mas para chegar ao nível do Cristiano é preciso fazer 50 golos por época, e isso não é fácil”, avisou.

Não serão necessários, talvez, cinquenta golos para derrotar a Suíça na quarta-feira da próxima semana, no Estádio do Dragão, mas ganhar é fundamental, no sentido de carimbar o passaporte para a grande final da competição, marcado para o dia 9 de junho. Antes disso, no dia 6, Holanda e Inglaterra disputam entre si a outra vaga da grande final, que decidirá o primeiro vencedor da história da Liga das Nações.