penafielmagazine@gmail.com

Notícias em Penafiel
 

AEP PEDE APOIO DA AUTARQUIA ÀS EMPRESAS DO CONCELHO

Num ano histórico para a cidade e o concelho de Penafiel, em que a sociedade se depara com uma crise de saúde pública sem precedentes na história recente, a Associação Empresarial de Penafiel (AEP) pede apoio à Câmara Municipal, para que ajude os empresários do concelho.

Numa nota enviada à comunicação social, o presidente da AEP, Nuno Brochado, entende ser tempo de as entidades públicas assumirem um papel de força, num momento de exceção. “Todas as instituições públicas e privadas têm de ajudar e dar um sinal importante de apoio. Hoje mesmo conhecemos medidas fortes do Governo e já fomos assistindo a decisões importantes, por exemplo de instituições bancárias que vão reduzir comissões cobradas ou mesmo de empresas de fornecimento de eletricidade que vão flexibilizar pagamentos ou mesmo não efetuar cortes de eletricidade em casos de incumprimentos”, sublinhou, além de enumerar algumas das possibilidades de apoio que podem ser seguidas. “Ao nível das autarquias, tenho assistido à tomada de medidas importantes de apoio ao comércio local e empresas como permitir o pagamento faseado das faturas da água de abril e maio e descontar 34% às pessoas que estejam a auferir apenas 66% do seu salário devido ao surto de Covid-19, suspensão de cortes de fornecimento de água, sendo criado um plano faseado de pagamento de 12 meses para quem dele necessite, desconto de 50% na água para quem esteja ao serviço dos Bombeiros Voluntários, Sapadores, PSP ou GNR, isenção total de taxas e tarifas municipais, ou mesmo uma medida mais específica que é a isenção de pagamento das taxas aplicáveis aos direitos de ocupação da via pública, por um período de três meses, para feirantes e vendedores ambulantes”.

Outro dos aspetos em que a associação trabalha é no esclarecimento, em proximidade, de medidas de contingência a adotar no sentido de cumprir as normas de segurança sugeridas pelas autoridades nacionais, conforme ressalvou o secretário-geral da AEP, João Pedro Begonha. “Mantendo as medidas de segurança, chegámos mesmo a receber associados nas instalações da AEP, no sentido de trabalharmos caso a caso a operacionalização de medidas de contingência do COVID-19 tendo em conta a especificidade dos negócios em causa. Apesar do receio instalado, que é natural numa situação deste tipo, nunca deixámos de apoiar os associados, de os receber na AEP como já referi, ou seja, apesar das dificuldades e medidas de segurança impostas, temos a nossa equipa a funcionar e pronta para aquilo que a nossa comunidade necessitar”.

E por falar em medidas de contenção e segurança, já na semana passada a AEP tomou a decisão de suspender temporariamente as suas atividades de formação profissional, como mecanismo preventivo do contágio generalizado da população. “Possuímos cerca de 200 formandos por dia nas nossas instalações, sendo que alguns provinham de Lousada e de Felgueiras, concelhos que começaram, infelizmente, a ser associados a esta pandemia global. Se acrescentarmos os nossos colaboradores, existe uma enorme rede de pessoas em torno da nossa instituição que cumpre defender de quaisquer ameaças de saúde pública. Ponderadas todas as circunstâncias, tomámos a decisão de encerrar a formação profissional, tornando-nos na primeira instituição do género em Penafiel a tomar tal caminho, antecipando-nos à decisão superior que iria, mais tarde ou mais cedo ser tomada”, reiterou o presidente Nuno Brochado, a propósito de decisão tornada pública a 12 de março.