penafielmagazine@gmail.com

Notícias em Penafiel
 

O QUE VAI MUDAR A PARTIR DE HOJE

Com o fim do Estado de Emergência os cuidados devem manter-se, mas o esforço, conforme indicações do Governo, é que a atividade comece a restabelecer-se gradualmente.

A partir desta segunda-feira, dia 4 de maio, o uso de máscara vai ser obrigatório nos espaços públicos fechados, nomeadamente na ida a estabelecimentos de comércio e serviços que, alguns deles de pequena dimensão, já podem abrir no início desta semana.

Segundo o plano apresentado pelo Governo os espaços comerciais até 200 m2, pequeno comércio, preferencialmente com porta virada para a rua, pode retomar a atividade comercial esta segunda-feira. Na lista dos que podem regressar à atividade estão ainda os cabeleireiros, barbeiros, stands de automóveis, conservatórias, serviços de atendimento ao público não concentrados; livrarias, bibliotecas e arquivos. Também os transportes públicos podem retomar a circulação normal desde que com cabine no motorista adaptada de forma a isolá-los.

“Enquanto houver Covid, não há vida normal, porque o risco mantém-se elevado”, alertou o primeiro-ministro, durante a apresentação da calendarização do Governo para a retoma da atividade no nosso país. O dever cívico de recolhimento mantém-se e os cuidados, para aqueles que retomam a atividade ou os que tenham que sair de casa, deve ser redobrado não descurando o distanciamento social e a utilização obrigatória de proteção individual, nomeadamente a máscara social, que passa a ser obrigatória em todos os espaços fechados.

Refira-se que quem não usar máscara incorre numa contraordenação sujeita à aplicação de multa. O Governo já está a criar um regime sancionatório, que estará em vigor já na segunda-feira, com multas que podem ir desde os 120 a 350 euros.

Os transportes públicos, em particular autocarros e comboios, vão estar sujeitos a lotação reduzida compreendendo dois terços da capacidade. Os motoristas terão uma cabine a separá-los para se protegerem e os utilizadores, apesar de ter que manter a distância, obrigados a usar máscara de proteção.

 

LOTAÇÃO LIMITADA A UMA PESSOA POR 20 M2

 

Cabeleireiros, barbeiros e salões de estética, independentemente da área, vão poder abrir esta segunda feira, mas atenção que a lotação será reduzida a uma pessoa por 20 m2. No entanto o atendimento tem que ser feito por marcação prévia e tanto os profissionais como os clientes são obrigados a usar máscara. Devem ainda ser privilegiados, sempre que possível, os materiais descartáveis.

Também a partir de segunda-feira qualquer loja com porta para a rua até 200 m2 poderá abrir. Quanto à lotação vai depender do tamanho da loja: cinco pessoas por cada 100 m2. Para quiosques, livrarias ou stand automóvel vai ser possível abrir o espaço comercial independentemente do tamanho.

Também, a partir desta segunda-feira, bibliotecas e arquivos públicos vão estar abertos.

Alguns serviços públicos também vão abrir esta segunda-feira, nomeadamente serviços como repartições de finanças e conservatórias, mas é obrigatório fazer marcação prévia por telefone ou online e utilização de máscara.

As lojas do cidadão só retomam a atividade a partir do dia 1 de junho, mas se o seu cartão do cidadão ou documento de identificação caducou neste período de pandemia, o mesmo é válido, pelo menos, até 30 de junho.

Os restaurantes, cafés e outros estabelecimentos hoteleiros só vão poder abrir a partir de 18 de maio e com condicionantes. Nessa altura a lotação dos restaurantes passará para metade do que têm atualmente para garantir o distanciamento social necessário. Os estabelecimentos de restauração terão horário reduzido e devem fechar até às 23h00.

 

TELETRABALHO É PARA MANTER

 

O governo quer que todas as atividades, em que seja possível manter o teletrabalho, se mantenham. No entanto, em junho será incentivada a redução do teletrabalho e promovida a ida ao local de trabalho por períodos mais curtos. A partir de 1 de junho é assim promovido o teletrabalho parcial, com horários desfasados ou equipas em espelho.

 

ESCOLAS : PARA QUANDO O REGRESSO À NORMALIDADE

 

Na educação o regresso à normalidade também vai ser gradual e a retoma só está prevista a partir de 18 de maio.

É precisamente para a segunda quinzena de maio, a partir do dia 18, que está prevista a abertura das creches. Quanto ao pré-escolar a abertura dos estabelecimentos só se concretizará a partir do dia 1 de junho.

Atendendo a esta circunstância os pais podem optar por ficar em casa até ao final do mês de maio, mantendo o apoio extraordinário que o governo criou nas situações em que os pais foram obrigados a ficar em casa para cuidar dos filhos.

O 11º e 12º anos também vão regressar à escola no dia 18 de maio. No regresso ás escolas secundárias, que, entretanto, foram desinfetadas numa operação nacional desenvolvida pelo Exército, o Governo vai providenciar máscaras para alunos, docentes e pessoal auxiliar. As aulas serão das 10h00 às 17h00.

 

FUTEBOL E MISSAS SÓ NO FIM DO MÊS DE MAIO

 

O futebol e as cerimónias religiosas só regressam no fim-de-semana de a 30 e 31 de maio. Quanto ao futebol, com o regresso da competição na I Liga, os adeptos só vão poder visionar na televisão, atendendo a que os serão à porta fechada.

As celebrações comunitárias vão decorrer de acordo com regras a definir entre a Direção Geral de Saúde e as confissões religiosas.

Entretanto deixa de haver limites para a comparência de família nas celebrações fúnebres. As autarquias definirão os limites máximos para outras presenças.

Quanto a atividades desportivas a partir de segunda-feira só serão permitidos desportos individuais. Para já os ginásios vão manter-se encerrados e o recomeço de atividades desportivas coletivas só está previsto para a terceira fase, que começa no início de junho.

Ressalve-se que nos desportos individuais, os balneários não podem ser utilizados e continuam fechadas as piscinas. É proibida a partilha de equipamento e o limite máximo de pessoas corresponde a seis, caso seja uma atividade orientada por um profissional, e a dois, numa situação puramente recreativa. A distância mínima é de dois metros, caso os participantes se encontrem lado a lado e de seis no caso de uma fila.

Só mesmo a partir de 1 de junho é que os cinemas, teatros e salas de espetáculos vão começar a reabrir. Os lugares têm de ser marcados e terá de ser mantida a distância de 1,5 metros, o que significa que a lotação será reduzida.

Bares e discotecas não vão abrir em maio. Para já vão continuar a ser evitados ajuntamentos de pessoas quer dentro de espaços fechados, quer na rua.

De forma geral quem está doente ou é suspeito, estão sujeitos ao confinamento obrigatório. Os restantes passam a estar sujeitos ao “dever cívico de recolhimento”.

 

 

Fonte: observador.pt