penafielmagazine@gmail.com

Notícias em Penafiel
 

MIGUEL OLIVEIRA TERMINA ÉPOCA HISTÓRICA EM GP PORTUGAL DE GRANDES DECISÕES

Depois de uma época histórica, na qual conquistou no Grande Prémio da Estíria a sua primeira vitória de sempre numa corrida de MotoGP, Miguel Oliveira vai concluir no Autódromo Internacional do Algarve uma época para mais tarde recordar, num fim-de-semana de emoções fortes e grandes decisões.

Desde o primeiro momento que Miguel Oliveira nunca escondeu que correr em Portugal na «classe-rainha» do motociclismo mundial seria a concretização de um sonho. Depois de o ter feito em 2011 e 2012, respectivamente nas categorias de 125cc e Moto3, o piloto de Almada com raízes familiares em Celorico de Basto irá, no próximo fim-de-semana, realizar a sua terceira corrida em solo português, a sua primeira em MotoGP, marcando igualmente a estreia do Autódromo Internacional do Algarve no campeonato.

 

É por isso com natural ambição, ansiedade e desejo de conseguir um grande resultado que o piloto português viaja até terras algarvias, num Grande Prémio que será, sem dúvida, muito especial. “Estou bastante animado por esta última corrida, que é a minha corrida de casa. É um sonho tornado realidade pode correr em Portugal na classe MotoGP. Infelizmente não teremos o público ao nosso lado, mas mesmo assim penso que é uma excelente forma de terminar a temporada. Espero que possamos conseguir um muito, muito bom resultado, estar confortáveis com a moto logo na sexta-feira e fazer uma grande corrida na despedida da Red Bull KTM Tech 3”, declarou Miguel Oliveira, que fará a sua despedida da Red Bull KTM Tech3 para se juntar ao sul-africano Brad Binder na equipa de fábrica da marca austríaca.

 

Para a história, fica uma temporada com uma vitória, sete «top-10» (entre os quais dois quintos lugares e quatro sextos) e uma centena de pontos, que valem a Miguel Oliveira o décimo lugar da classificação, à partida para a última prova do ano. Para memória futura, ficará também o primeiro título mundial de sempre do espanhol Joan Mir (Suzuki) em MotoGP, três anos depois de ter arrecadado o troféu mundial na classe de Moto3, na altura com uma Honda da equipa Leopard Racing. Neste momento, Mir lidera com 171 pontos, seguido do italiano Franco Morbidelli (Yamaha) com 142, e do seu colega de equipa e compatriota Álex Rins, com 138 pontos.

E se é verdade que a luta em MotoGP está decidida no mundial de pilotos, o mesmo não se passa nas outras classes, onde a disputa estará ao rubro em Portimão. Em Moto2, há quatro «guerreiros» em disputa com as suas Kalex, com o italiano Enea Bastianini a estar muito perto da consagração com os seus 194 pontos, mais 14 do que o britânico Sam Lowes, que também está à procura do seu primeiro título de Moto2. Luca Marini é terceiro com 176 pontos, e Marco Bezzecchi, quarto com 171 pontos, ainda alimenta esperanças de chegar ao primeiro lugar, embora seja muito difícil.

Em Moto3 a luta é a três, separados por apenas 11 pontos. A viver um momento menos bom de forma, o espanhol Albert Arenas ainda lidera o campeonato aos comandos da sua KTM, e um segundo lugar chega-lhe para celebrar garantidamente o troféu. Depois de um discreto oitavo lugar no GP da Comunidade Valenciana, o japonês Ai Ogura terá de dar o melhor de si para recuperar os oito pontos de desvantagem para o líder, numa ronda em que não dependerá apenas de si para ser o campeão, e o italiano Tony Arbolino quererá repetir o triunfo que obteve na ronda do passado fim-de-semana, até porque parte com aspirações legítimas à conquista do título.

As corridas do Grande Prémio de Portugal terão lugar no próximo domingo, com a prova de Moto3 a desenrolar-se às 11h, a de Moto2 às 12h20 e a de MotoGP às 14h.

Texto :Gonçalo Novais

Créditos das fotos pertencentes aos pilotos e à Aspar Team

Post Tags
Share Post