Slider

Associação de Canelas de apoio a peregrinos não vai para a estrada há dois anos

A Associação de Peregrinos Canelas Penafiel a Caminho de Fátima, que anualmente em maio organiza peregrinações ao Santuário de Fátima, não “saí à rua” há dois anos consecutivos, por causa da pandemia da covid-19.

 

Armando das Neves, presidente da direção da associação, avançou ao Penafiel Magazine que “não pode corre riscos”.

“Havia pessoal interessado em ir, mas nós decidimos não sair, por iniciativa própria. Não foi por regras impostas. Não íamos assumir o risco de colocar em causa a vida das pessoas”, explicou.

Fundada há cinco anos, a associação penafidelense costuma dar apoio a uma média de 20 peregrinos ao longo dos mais de 200 quilómetros de estrada que têm que percorrer até chegarem à Cova da Iria.

A “saída à estrada” costuma ser na madrugada de 7 de maio e a chegada ao destino acontece quase sempre ao final da manhã do dia da procissão de velas, 12 de maio.

Durante os cinco dias de caminhada, a prestar auxílio ao grupo de peregrinos oriundo de Penafiel, costumam ir três viaturas e seis voluntários.

As dormidas costumam ser em pavilhões gimnodesportivos, juntas de freguesia e até casas particulares.

Em 2020 e 2021, o ritual não foi cumprido, mas a associação tem expectativa de em 2022 voltar a organizar a peregrinação.

“Para o ano, supostamente as coisas já irão melhorar e iremos voltar”, referiu Armando das Neves acrescentando:

“A fé não termina por causa disto. Não é pelo facto de não irmos a Fátima que acaba a nossa fé. Nossa Senhora de Fátima está em todo o lado”.

Refira-se que em condições normais, milhares de peregrinos estariam hoje em Fátima para as celebrações do 13 de maio, mas as restrições impostas pela pandemia levaram a que estabelecesse uma lotação limitada a 7.500 pessoas no recinto da oração.