Slider

Bombeiros de Paço de Sousa assinalam hoje 83 anos com bênção de duas novas viaturas

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paço de Sousa assinala hoje 83 anos de existência com a bênção de duas novas viaturas, que representam um investimento de cerca de 80 mil euros.

 

O presidente da direção da corporação avançou ao Penafiel Magazine que a cerimónia de comemoração do aniversário se realiza hoje à noite com “um programa restrito”, devido às restrições impostas pela covid-19.

“Vamos ter a bênção de duas viaturas, às 20:45. Logo de seguida, às 21:00, vai realizar-se a celebração de uma missa e depois iremos partilhar o bolo de aniversário com os bombeiros do corpo ativo e não só”, especificou Adelino Sousa, acrescentando:

“Olhando à pandemia é por isso que vamos fazer a comemoração hoje. Se não, faríamos uma festa mais alargada a um domingo”.

 

Adelino Sousa

 

Segundo o presidente da direção dos Bombeiros de Paço de Sousa as novas viaturas, de socorro e transporte de doentes, foram adquiridas com ajudas do município de Penafiel, da população e de um benfeitor.

“Eram uma necessidade premente do corpo ativo”, acentuou o dirigente, salientando:

“Era uma necessidade e continuamos com necessidades. Estamos com bastantes dificuldades para adquirir viaturas, mas precisamos delas, porque temos o parque automóvel com viaturas que, apesar de andarem de cara lavada, já têm muitos quilómetros acumulados”.

Adelino de Sousa especificou, ainda, que a corporação está a precisar de uma viatura de combate a incêndios e de, pelo menos, mais duas viaturas de transporte de doentes.

“Já temos o veículo florestal comprado, mas ainda não chegou”, referiu.

A cerimónia de bênção das viaturas vai ocorrer junto ao Mosteiro de Paço de Sousa.

 

Pandemia diminuiu receita da corporação, mas a direção garante que contas estão equilibradas

Devido à pandemia da covid-19 este é o segundo ano consecutivo que os Bombeiros de Paço de Sousa “não podem fazer o peditório porta a porta” e isso, indicou o líder da direção, “condicionou um pouco” as contas da associação.

“Normalmente esse pedido de ajuda dá-nos para endireitar um pouco as contas. Num ano normal o peditório dá-nos uma média de 25 mil euros de receita. Ou seja, dá para satisfazer determinados pedidos que o corpo ativo nos faz. E sem isso é muito difícil”, referiu Arlindo Sousa.

Apesar do “rombo”, o presidente dos Bombeiros de Paço de Sousa garante que as “contas estão equilibradas”

“Felizmente não devemos nada a ninguém. Temos os salários em dia, com muito esforço. Não temos atrasos nos pagamentos. A câmara tem cumprido com os subsídios que estão destinados a todas as corporações de bombeiros e isso dá-nos a ajuda de termos o barco mais ou menos controlado”, explicou Arlindo Sousa.

 

Arlindo Sousa pretende deixar a direção no final do mandato, mas diz que até lá ainda deseja colmatar as principais necessidades da associação

A exercer funções desde janeiro de 2019, Arlindo Sousa termina em dezembro de 2021 o seu primeiro mandato como presidente dos Bombeiros de Paço de Sousa.

O líder da associação confidenciou, ao Penafiel Magazine, que pretende deixar o cargo, mas ainda tem o desejo de “deixar feito” aquilo que entende ser as maiores necessidades da corporação.

“Já coloquei o lugar à disposição na última assembleia, porque estou a abraçar um outro projeto e não quero misturar situações. Mas quero levar o mandato até ao fim de cabeça erguida sem ser conotado com outros projetos”, explicou.

“Sou ambicioso e como tal gostava de deixar feito aquilo que entendo que são as principais necessidades desta casa, que são obras de fundo no quartel, a construção de um pavilhão para o parqueamento de viaturas e a aquisição de pelo menos duas novas viaturas de transporte de doentes não urgentes”, acrescentou.

“A nossa luta é continuada. Nós nunca podemos deixar de sonhar, principalmente para satisfazer as necessidades do corpo ativo”, concluiu Arlindo Sousa.

Fundada a 29 de junho de 1938, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paço de Sousa, tem um corpo ativo composto por cerca de 70 bombeiros e a sua área de abrangência incorpora oito freguesias do concelho de Penafiel.