Slider

BOSQUE DOS AVÓS NA SERRA DO MARÃO CRESCE POR INICIATIVA DE AVÔ PENAFIDELENSE

José Claudino

O penafidelense José Claudino Silva, responsável pelo projeto Bosque dos Avós, na Serra do Marão, em Aboadela, Amarante, revelou ao PENAFIEL MAGAZINE, que existem milhares de novas árvores na serra do Marão que podem ser apadrinhadas por avós e netos.
José Claudino Silva, natural da antiga freguesia de Marecos, em Penafiel, explicou que há uma área adjacente ao seu projeto onde foram plantadas, recentemente, novas árvores de espécies autóctones.
“No Bosque dos Avós chegamos ao nosso limite e não vamos expandir mais. Contudo, com este outro projeto, que é da responsabilidade dos Baldios de Aboadela, existem milhares de novas plantas, nomeadamente carvalhos e bétulas, que poderiam beneficiar da mesma atenção que é dada às nossas”, acrescentou.
Implementado em 2018, o Bosque dos Avós tem cerca de 1.600 árvores plantadas por avós e netos de todo o mundo.
O responsável pelo projeto, que está radicado em Amarante desde que se casou, explicou que vê, com o novo bosque, uma oportunidade para que, no futuro, se crie um “imenso espaço natural” que devolva ao Marão as suas espécies autóctones.
“Não será, de certeza, para o nosso tempo, mas há aqui uma oportunidade para criar um grande espaço verde”, conta.

“É um sonho, com certeza, mas se não tivesse sonhado, o Bosque dos Avós não existiria hoje”, afiançou, anotando que a pandemia tem impedido a realização de algumas das iniciativas programadas.
Por seu lado, o presidente do conselho diretivo dos Baldios de Aboadela indicou que o espaço em questão, com cerca de 15 hectares, faz parte de um projeto de reflorestação iniciado em 2019 que abrange 156 hectares de terrenos baldios.
Álvaro Marinho acrescentou que a área foi intervencionada recentemente, com a realização de limpezas e a reposição de várias plantas que morreram durante o verão.
Concluiu, indicando que iniciativas como a proposta de apadrinhar as árvores daquele espaço “são sempre bem-vindas”.

E acrescentou: “Estamos sempre abertos a projetos e ideias que visem a melhoria das condições deste território”.

No Bosque dos Avós a ideia original, que agora pode ser replicada nos terrenos adjacentes da Serra do Marão, confere ao avô aderente a graciosidade de plantar uma árvore por cada neto.

A ideia do Bosque dos Avós surgiu durante um passeio que José Claudino realizava pelo Marão, numa iniciativa em que, explica, tem permitido reflorestar a serra e criar vida através de uma dinâmica simples, capaz de “tocar nas pessoas”. Assim surgiu, revela, a ideia de se batizar cada árvore com o nome de um neto.
“Hoje temos inscritos cerca de 460 avós oriundos de praticamente todos os continentes, responsáveis por 1.600 árvores”, comenta.

 

TEXTO: Paulo Alexandre Teixeira