Slider

GRUPO SÓCIOS CRITICA PRAZO ELEIÇÕES FC PENAFIEL

[eltdf_highlight background_color=”” color=””]E[/eltdf_highlight]m comunicado emitido hoje, um grupo de sócios do Futebol Clube de Penafiel liderado por António Gomes, Augusto Teixeira e Jorge Gomes tece duras críticas não apenas à forma como o processo de constituição da SAD foi conduzido, como também ao prazo de 14 dias para marcação de novas eleições, que segundo este grupo, constitui-se como uma “tática” de reforço do poder interno no clube, uma vez que, segundo estes associados, “os órgãos sociais demissionários sabem perfeitamente que, nesta altura da época desportiva, muito dificilmente algum associado tem condições para se apresentar a eleições”.

Leia, aqui, o comunicado na íntegra:

“Tendo tomado conhecimento da demissão em bloco dos órgãos sociais do Futebol Clube de Penafiel e da marcação de eleições antecipadas para 21/08/2018, vimos pelo presente tornar público o seguinte:

1. Quando este grupo de associados denunciou publicamente as irregularidades ocorridas em torno da Assembleia Geral Extraordinária (que estão à vista de todos) e anunciou a apresentação de providência cautelar para a suspensão da execução das deliberações tomadas nessa Assembleia, ainda havia a expectativa de que os órgãos sociais do clube atentassem nas razões invocadas e, com sentido de responsabilidade e legalidade, convocasse nova assembleia geral para recolocar os assuntos à análise e discussão, desta vez de forma transparente, com menção expressa na ordem de trabalhos e facultando antecipadamente toda a informação aos sócios.

2. Contudo, ao invés, os órgãos sociais do clube, numa atitude completamente irresponsável e infantil, apresentaram a demissão, forçando a convocação de eleições antecipadas e desafiando os associados a apresentarem candidaturas e projetos.

3. Há que, em primeiro lugar, referir que nenhum associado pediu a demissão dos órgãos sociais do clube, sendo nosso entendimento que os mandatos devem ser respeitados e integralmente cumpridos. O que este grupo de sócios fez foi alertar e denunciar a forma irregular como a Assembleia Geral Extraordinária do dia 23 de julho foi convocada, bem como a ilicitude das deliberações que nela foram votadas, designadamente a que aprovou a transmissão ou cedência de 90% do capital da SAD a uma empresa externa ao clube, sem que a esmagadora maioria dos associados estivessem devidamente informados e esclarecidos acerca do assunto.

4. A demissão dos órgãos sociais do clube constitui um verdadeiro “eclipse rubro negro!”. Os actuais dirigentes querem lançar o clube na escuridão! Mas o que os sócios apenas querem é luz e transparência!

5. Obviamente que essa demissão em bloco nada tem de inocente, nem de democrático, ao contrário do que o Senhor Presidente da Direção apregoa. É uma tática para verem o seu poder reforçado e assim tentarem contornar as irregularidades e ilicitudes existentes relacionadas com a SAD a constituir. Os órgãos sociais demissionários sabem perfeitamente que, nesta altura da época desportiva, muito dificilmente algum associado tem condições para se apresentar a eleições, ainda para mais com o ato eleitoral agendado tão rapidamente e a escassos 14 dias.
Os atuais órgãos sociais já têm a sua lista feita, enquanto que qualquer outro sócio terá de compor um elenco, o que nesta altura e em tão curto espaço de tempo será uma tarefa quase impossível. A democracia não é forçar a realização de eleições com o intuito de contornar os problemas e as vicissitudes. A democracia é acima de tudo atuar com transparência, é informar e esclarecer, é dar
voz a todos.

6. Mas nenhum associado se vai deixar iludir e muito menos este grupo de sócios. As diligências judiciais não vão parar e, para além da providência cautelar já apresentada, dentro de dias será também intentada a ação de impugnação e anulação das deliberações da Assembleia. São diligências que se impõem realizar na defesa e salvaguarda dos superiores interesses e direitos do FC Penafiel. Ninguém pretende manietar ou condicionar as normais atividades do clube, mas sim que o Dossier da SAD (devido à importância estrutural que tem) seja tratado de forma transparente, participativa e dentro das regras legais e estatutárias.

7. Neste sentido, formulamos vários convites aos órgãos sociais do clube:

– Convidamos os órgãos sociais do clube a continuar no exercício dos cargos para que foram eleitos e que cumpram os seus mandatos até ao fim;
– Convidamos a que assumam, desde já, publicamente e de forma definitiva, a não execução das deliberações emanadas da lamentável assembleia geral de 23 de julho último.
– Convidamos ainda a que seja marcada uma nova assembleia geral extraordinária para revogação das deliberações votadas na assembleia geral de 23 de julho, para informação, esclarecimento e análise da transformação da SDUQ em SAD, e para que seja anunciado um prazo para apresentação de propostas de aquisição de capital social da SAD, a fim de numa posterior assembleia tais candidaturas possam ser apresentadas aos sócios, discutidas e votadas.

Isto sim, é democracia, é transparência, é luz!

ANTÓNIO GOMES - FOTOGRAFIA DO JORNAL: "A BOLA"

 

Penafiel, 08 de agosto de 2018.
Os Associados,
António Gomes
Augusto Teixeira
Jorge Gomes