Slider

MISERICÓRDIA PENAFIEL HOMENAGEIA ANTIGO PROVEDOR JÚLIO MESQUITA

A Santa Casa da Misericórdia de Penafiel assinalou, no sábado, dia 31 de outubro, 511 anos da sua fundação, evocando a memória do ex-provedor, Júlio Mesquita, que faleceu, inesperadamente, em maio deste ano.

Para o atual provedor, Joaquim Barbosa Esteves, “apesar da situação de pandemia, não deixamos a data de fundação cair no esquecimento”.

A data fica marcada pela admissão de novos Irmãos naquela instituição ao longo do último ano.

“Esperamos que contribuam para uma Misericórdia mais rica com a sua participação em todos os atos da Santa Casa”, realça o provedor.

Este aniversário da Misericórdia de Penafiel fica ainda marcado pela homenagem póstuma ao antigo provedor Júlio Mesquita.

“O seu falecimento deixou um profundo vazio a todos que partilharam a sua vivência nesta Santa Casa da Misericórdia”, referem numa alocução evocativa da Misericórdia de Penafiel.

“Marcou a sua presença e o prestígio junto da União das Misericórdias, onde era Membro do Secretariado Regional do Porto”, acrescentam, realçando que “nesta Misericórdia será sempre recordado”.

Na página oficial da Misericórdia de Penafiel publicaram um vídeo em jeito de homenagem ao antigo provedor Júlio Mesquita, editado pelo Novum Canal.

Empreendedor, dedicado, muito ativo na participação cívica e associativa, Júlio Mesquita pautou a sua vida pelo bem da causa comum. 

“Plantou a esperança em cada pegada do seu caminho, palmilhou entre sucessos e obstáculos, entre dificuldades e acontecimentos, que culminaram em marcos significativos. O sonho foi sendo construído com o passar dos anos, num humanismo de proximidade em que o outro refletia em si o objetivo pleno da existência, quando a alegria brindava os seus olhos e os lábios se abriam em forma de sorriso, quando a luz iluminava o seu rosto e o lançava em novos projetos, a obra nascia e marcava não apenas a sua história individual, mas também a história social”, realça-se no vídeo com a chancela do Novum Canal.

“O bem ao outro, o assegurar de respostas de qualidade, foram sempre entendidos com o intuito de servir, de trilhar um tempo e um espaço em que a palavra «acolher» se tornou cheia de significado e elevou bem alto o ideal de amor ao próximo. 

O desejo de um contributo efetivo para aqueles que lhe enchiam a alma e o coração para quem vivia diariamente, foi um esforço contínuo de pequenos nadas e de grandes momentos que aos poucos transcenderam paredes e foram até junto daqueles que também em casa precisam de apoio, o contributo foi inegável nos muitos lugares que ocupou promovendo uma reflexão sobre os caminhos a seguir para melhorar os cuidados e ir ao encontro das necessidades das pessoas e das suas famílias”, enaltece-se no vídeo, ressalvando que “todo este trabalho foi realizado sem descurar também um restauro de um património que a todos enche os olhos e eleva os sentidos”.

“Em todas as atividades que exerceu sempre se pautou por transparência, retidão e sentido de pertença, mas como em todos os sonhos ainda há um lugar para o dever e, sem dúvida, que neste dia que lhe era tão especial o céu abrirá uma brecha de claridade para que receba este singelo gesto de homenagem, que não haja pressa que com asas de infinito o abraço seja reconfortante, que os olhos postos para além das estrelas saiba que a sua presença continuará a brilhar. Até Sempre”, evocam.   

O ex-provedor da Misericórdia de Penafiel, Júlio Manuel Mesquita, nasceu em Vila Flor, e em 1964, radicou-se em Penafiel. Em 2011, candidatou-se a dirigir esta Santa Casa da Misericórdia de Penafiel, como Provedor, onde ocupou o cargo até à data do seu falecimento.

Faleceu, com 74 anos, a 29 de maio de 2020.