Slider

MÚSICO PENAFIEL FAZ VIDEOCLIP COM PARTICIPAÇÃO ESPONTÂNEA COMUNIDADE

Tiago Mota

O músico penafidelense Tiago Mota inspirou-se nos sucessivos períodos de confinamento obrigatório do ano passado para escrever sobre “o sentimento da necessidade de se regressar à vida normal”.

O poema resultante, “Leva-me a Dançar”, foi escrito pelo artista, em casa, com uma composição musical que, mais tarde, partilhou no seu blog pessoal e que recebeu nota positiva dos seus seguidores.

“Foi tudo feito com os recursos que tinha, na altura, à mão, nomeadamente o meu telemóvel e computador”, recordou ao Penafiel Magazine.

O músico, também vocalista da banda Blueberries for Chemical, disse que o resultado o inspirou para fazer algo mais “interessante” para divulgar aquele trabalho individual.

Nas redes sociais e no seu blog, apelou aos seus seguidores e à população em geral para contribuir com pequenos videoclipes que mostrassem “cenas da vida real” e que lhes recordasse uma vivência normal.

“Pedi que me mostrassem pessoas a dançar, cenas na praia, a brincar com crianças, enfim, tudo aquilo de que, em confinamento, tínhamos saudades”, acrescentou.

O videoclipe já alcançou mais de 2.200 visualizações desde que foi publicado na plataforma Youtube, a meio do mês de janeiro, e mereceu a atenção da publicação brasileira “Observatório de Música”, entre outros.

“É uma coisa simples, amadora mesmo, mas acredito que foi ao encontro dos sentimentos de muitas pessoas, na altura. Nem sei como foi parar a um jornal brasileiro, acho que foi pelo que transmite, mas também pela ideia que foi feito com colaboração das pessoas”, acrescentou.

O artista sublinhou que o trabalho de vídeo foi feito com “cuidado”, selecionando os clips que estivessem em sintonia com o tema da composição musical.

Recordou, também, que a pandemia colocou um travão à atividade da banda, que tinha acabado de publicar, em outubro de 2019, o álbum “Surfing on Earthquakes”.

“Na altura (do primeiro confinamento de 2020) já o estávamos a promover, até tínhamos concertos agendados, mas com a pandemia, tivemos que suspender tudo, até mesmo os ensaios”, sublinhou.

Tiago Mota disse que tem em mente algumas novas ideias para trabalhos individuais, nos próximos meses, algo talvez “não tão amador” como este, mas também nada “muito profissional”.

“Não gosto de estar parado, gosto de estar sempre em movimento. Tenho algumas ideias para estes tempos e, claro, assim que houver a possibilidade, quero regressar ao trabalho da banda e retomar o que estávamos a fazer”, concluiu.

 

Texto: Paulo Alexandre Teixeira