Slider

Paredes aprovou contas de 2020 com “nova redução do passivo”

A Assembleia Municipal de Paredes aprovou a prestação de contas do exercício de 2020, destacando a redução “novamente” do passivo, informou fonte da autarquia.

 

O documento foi apresentado pelo presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, que exaltou o “rigor e equilibro” da gestão das contas de 2020.

“O Executivo Municipal apostou no rigor e no reequilíbrio financeiro, como demonstra a gestão e a evolução da dívida nos quadros das contas apresentadas aos deputados municipais, aproveitamos todos os fundos comunitários ao dispor da autarquia e fizemos obras em todas as freguesias, aumentando a qualidade dos serviços prestados aos munícipes”, afirmou o presidente da Câmara de Paredes, citado num comunicado.

Alexandre Almeida, sublinhou que “estas contas de 2020 espelham uma vez mais o enorme rigor no esforço de investimento, garantindo um equilíbrio de contas sem comprometer o desenvolvimento futuro do concelho de Paredes”.

As contas de 2020 do Município de Paredes foram aprovadas sexta-feira, na última Assembleia Municipal de 2021, que decorreu no Centro Escolar de Sobreira.

O relatório de gestão e contas de 2020 passou por maioria com os votos favoráveis dos deputados e presidentes de Junta do PS, do deputado e do presidente de Junta da CDU e dos presidentes de Junta de Louredo e de Sobrosa, eleitos pelo PSD, e do deputado social democrata de Sobrosa. Os restantes elementos do PSD votaram contra, com exceção das Juntas de Lordelo, Cete, Cristelo, Duas Igrejas e Vilela que se abstiveram tal como o representante do CDS.

No comunicado, a autarquia sublinha que a terceira prestação de contas do Executivo permitiu, “uma vez mais, que o passivo municipal diminuísse”. “Desde 2017 já baixou 20 milhões de euros”, acrescenta.

 

Autarquia reduziu passado em cinco milhões de euros face a 2019

O relatório de gestão e contas do exercício de 2020 aprovado representa a diminuição do passivo em menos cinco milhões de euros face a 2019.

Nas contas do Município, o passivo passou de 88.129.254 milhões, em 2019, para 83.564.907 milhões de euros, em 2020, menos 5 milhões de euros. Recorde-se que o passivo em 2017 era de 103.166,035 milhões de euros e em 2020 cifrou-se em mais de 83 milhões de euros, baixando 20 milhões de euros.

Da prestação de contas, a autarquia sublinha que os financiamentos bancários desceram de 31.732.314 milhões de euros em 2017 para 28.054.838 milhões de euros em 2020. As dívidas a fornecedores de 2017 eram de 17.275.706 milhões de euros e em 2020 baixaram para 7.223.123 milhões de euros.

“Esta redução do passivo ocorreu num contexto de redução da taxa de IMI de 0,4% para o mínimo de 0,3%”, refere.