Slider

Penafidelense Joaquim Silva conquista ‘Grande Prémio JN’ (C/ÁUDIO)

O penafidelense Joaquim Silva conquistou a 30ª edição do ‘Grande Prémio JN’ em ciclismo, que terminou, no domingo, em Viana do Castelo.

 

O corredor da Tavfer-Measindot-Mortágua, que vestiu a camisola amarela na primeira etapa, conseguiu conservar a liderança na derradeira tirada da prova, que teve uma extensão de 178,5 quilómetros, e que ligou Vila Nova de Gaia à Praia do Norte, em Viana do Castelo.

Joaquim Silva conclui uma das mais importantes competições velocipédicas do calendário nacional com 25 segundos de vantagem sobre Ricardo Vilela (W52/FC Porto) e Alejandro Marque (Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel).

Joaquim Silva dedicou a vitória à equipa, que teve de “dar o peito às balas” na defesa da liderança.

“Desde que assumimos a liderança, não houve um dia em que tivéssemos um bocadinho de paz. Foram cinco dias muito sofridos para mim e muito mais sofridos para a minha equipa. Tiveram que dar o peito às balas e assumir a liderança em vários momentos de crise, mas felizmente foram muito fortes. Agradeço a todos eles esta vitória”, afirmou, em declarações ao Tamegasousa.pt.

 

 

Ao ganhar o Grande Prémio JN, Joaquim Silva conquistou o seu maior êxito como ciclista profissional e um dos maiores em toda a carreira. Aos 29 anos, o corredor natural de Penafiel conseguiu, finalmente, mostrar em pleno as capacidades que já lhe valeram o estatuto de mais promissor ciclista nacional.

“Estou orgulhoso. Foram muitos anos à procura desta vitória. Esta é uma época em que tenho tido bons resultados. Já há muitos anos que não tinha uma época a um nível tão alto. Estou a viver um sonho”, confessou Joaquim Silva.

 

 

O ciclista penafidelense despontou no clube local, o Silva & Vinha/ADRAP, mas foi na equipa de Mortágua que se revelou para o panorama velocipédico com o título nacional sub-23, pelas mãos do diretor desportivo da equipa, Pedro Silva, que recentemente faleceu.

Além da formação de Mortágua, Joaquim Silva integrou, durante alguns anos, o contingente da W52/FCPorto e dos espanhóis da Caja Rural.