Slider

PSD PROPÕE ADIAR POR 60 DIAS ELEIÇÕES AUTÁRQUICAS

Rui Rio

O PSD vai apresentar na Assembleia da República um projeto de lei para propor o adiamento das eleições autárquicas por 60 dias, que estão previstas realizarem-se este ano, anunciou o líder do PSD, Rui Rio, perante a situação pandémica instável motivada pelo Covid-19 em que nos encontramos.

“Vamos propor o adiamento das eleições por 60 dias. É uma proposta sensata e feita com a devida antecedência e não «à portuguesa» como aconteceu com as presidenciais”, defendeu Rui Rio, em conferência de imprensa, justificando a posição do PSD com a previsão da vacinação atingir os 70% da população apenas no final de agosto.

Assim sendo, o PSD vai propor que a marcação das próximas eleições autárquicas seja reagendada para o período entre os dias 22 de novembro e 14 de dezembro, em vez da previsão atual, cuja marcação das eleições se prevê possa acontecer entre 22 de setembro e 14 de outubro.

“Como é que se consegue fazer uma campanha sem poder contactar com as pessoas?”, interroga o líder do PSD, sabendo que estas eleições envolvem a mobilização de dezenas de milhares de candidatos aos três órgãos autárquicos sujeitos a eleição.

No entanto, para adiar as eleições é necessária a maioria – dois terços dos deputados de acordo. E, segundo o Observador, o PS não concorda.

O baionense José Luís Carneiro, secretário-geral adjunto do PS, referiu que “é prematuro” falar-se na possibilidade de mexer no calendário eleitoral, face à evolução incerta da pandemia.

O socialista referiu que, até aqui, nunca se suspendeu a democracia e que as “eleições presidenciais ficaram marcadas por uma grande mobilização dos portugueses, em condições de grande limitação”.

À TSF, o presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública, Ricardo Mexia, defendeu que “talvez fosse melhor” adiar as eleições, mesmo que ainda exista “uma enorme incerteza” sobre a evolução da pandemia em Portugal.

“Sabemos que durante o verão, provavelmente e independentemente de tudo o resto, poderá haver uma diminuição da incidência”, pelo que “se não houvesse grande prejuízo do ponto de vista político ou jurídico, talvez fosse melhor” realizar as autárquicas “mais tarde”, sugeriu o especialista.

Note-se que as autárquicas estão agendadas para este ano e têm de ser marcadas entre 22 de setembro e 14 de outubro, de acordo com a lei eleitoral autárquica, com, pelo menos, 80 dias de antecedência.

 

TEXTO com ZAP // Lusa

Foto de Arquivo